Notícias



ÓRGÃO QUE REGULA AS RELAÇÕES COMERCIAIS NOS EUA QUER BLOQUEAR FUSÃO DE FACEBOOK, WHATSAPP E INSTAGRAM

18/12/2019

O plano de juntar as plataformas foi apresentado por Zuckerberg como uma maneira de facilitar as interações entre os serviços e aumentar a privacidade, com a criptografia de ponta a ponta. No entanto, a fusão dos três serviços é muito conveniente ao Facebook do ponto de vista comercial, ao dar uma abertura para que a empresa aumente a interdependência entre as plataformas e impossibilite sua divisão.

A FTC e o Departamento de Justiça já estão investigando o Facebook como parte de uma ação federal mais ampla de práticas anticompetitivas de grandes empresas, como Google, Apple e Amazon. No início deste ano, a companhia recebeu uma multa de US$ 5 bilhões por violações anteriores à privacidade dos usuários. A investigação mais recente pode prejudicar o Facebook com muito mais força, atacando as aquisições do Instagram e WhatsApp.

De acordo com o WSJ, fontes declaram que há um debate interno na FTC sobre a possibilidade de solicitar uma ordem judicial impedindo o progresso da fusão dos três serviços. A medida exigiria a aprovação da maioria dos comissários da FTC, além de exigir que a agência mova uma ação federal. Isso também indica que o órgão está se inclinando para ações mais "pesadas" desta vez.

Pouco depois disso, as ações do Facebook sofreram um impacto de queda de cerca de 3%, passando de US$ 201 por ação para US$ 196. A flutuação das ações de curto prazo estão longe de ser um indicador confiável das fortunas de longa data de qualquer empresa. Há um ano, suas ações eram de US$ 144,50 e subiram apesar da série interminável de crises da empresa.